Imerso lança primeiro EP de inéditas; confira - Ligado à Música | Ligado à Música

Imerso lança primeiro EP de inéditas; confira

23/06/2017  |   Por:

IMG_1010

A banda Imerso lançou, nesta sexta-feira (23), seu primeiro e homônimo EP de estreia. Disponível nas principais redes de streaming, “Imerso” conta com 6 faixas autorais e transita entre o rock alternativo, o pop rock e o ska.

Vindo diretamente da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, o Imerso faz parte de um vasto cenário de bandas independentes locais, entre elas a The Codex, Entre Aspas, The Unknowns e Holandês Voador. Formado em 2015, o grupo conta com Tyrone Salgado nos vocais, André Lima no baixo, Raphael Rui e Leonardo Schmitd nas guitarras, e Henrique Santos na bateria. Sem gostar de rotular o seu estilo, a banda costuma se posicionar como rock alternativo, mas apresenta diferentes tipos de influência em sua raiz, entre elas, o Red Hot Chilli Peppers, Oasis, Nirvana e Soundgarden. Destacam-se no trabalho da banda as linhas de baixo de André e os vocais rasgados de Tyrone, que diversas vezes nos remetem aos de Eddie Vedder.

Confira abaixo uma entrevista com o baixista André Lima, contando um pouco sobre o surgimento da banda, as suas principais influências e o processo de composição do EP. Além disso, ouça também ‘Imerso’ na integra.

Ligado à Música: Como surgiu a Imerso?

André Lima: A Imerso surgiu em 2015. Eu e o Tyrone (vocalista) tínhamos outra banda, que não deu certo, e então decidimos sair e recrutar músicos que também quisessem um trabalho autoral. Foi assim que encontramos o Leonardo Schmitd (guitarra) e o Breno Berardo (bateria), que fez parte da primeira formação da banda. Basicamente surgiu em uma conversa de bar, com violão e cerveja.

Ligado à Música: De onde veio o nome do grupo?

André Lima: Nós procurávamos por um nome legal e que também fizesse sentido. Assim, depois de várias tentativas, sugeri o nome ‘Imerso’, pelo fato de nós estarmos ‘imersos’ na música. Todos gostaram da ideia e acabou pegando.

Ligado à Música: Quais são as suas principais influências como baixista, tanto internacionais como nacionais? Elas se encaixam com as influências dos outros integrantes da banda?

André Lima: São muitos os que me influenciaram, começando pelo meu professor de baixo Oto, que com certeza foi o cara que mais me inspirou. Como influências internacionais eu diria Flea (Red Hot Chilli Peppers), Jeff Ament (Pearl Jam), John Entwistle (The Who), Geddy Lee (Rush), Les Claypool (Primus), e por aí vai. Sobre as influências dos outros integrantes, todos também curtem Red Hot Chilli Peppers e Pearl Jam, assim como outros grandes nomes como Oasis, Pink Floyd, Soundgarden, Nirvana e etc. São grandes influências para nós.

WhatsApp Image 2017-06-23 at 12.55.28

Ligado à Música: Sobre a cena no Rio de Janeiro. Como você enxerga a presença do público em shows autorais e em festivais independentes? Ainda existe aquela dependência das casas e dos contratantes de incluir bandas covers nos eventos?

André Lima: Ainda acho a cena muito precária. Muitos eventos ainda são realizados e não contam com a presença massiva do público, mas com o tempo isso veio melhorando e ganhando mais força. Sim, ainda existe. Muitos locais preferem que a banda seja totalmente cover, ou pelo menos a maioria de seu repertório, deixando as bandas autorais sem saída. O apoio que temos são de organizações independentes.

Ligado à Música: Qual conselho você daria para alguém que está começando uma banda e pretende entrar no cenário independente do Rio de Janeiro?

André Lima: Procure-se enturmar com o cenário, compareçam aos shows e façam bastante amigos, pois são eles que tem apoiam. As vezes fazemos shows contando apenas com amigos de outras bandas e mesmo assim são shows fodas, por mais que eles não curtam a sua música em si, estarão ali para te apoiar e agitar, assim como gostariam que fizessem em seus respectivos. Ah, e principalmente, evite ser soberbo.

Ligado à Música: Quais bandas da cena rock carioca você indicaria para alguém?

André Lima: São muitas. Existem bastante bandas de qualidade no Rio de Janeiro, então vou citar as que mais tenho contato: The Unknowns, Holandês Voador, Entre Aspas, Lenhadores da Galáxia, The Codex, Catiço, Amsterdan, Circus Rock, The Queen and The Hacks, Insúria, Vermonte, Na Panela, Pappa Jack, Fylipe Fontes (solo) e a Banda Beker. Com certeza estou me esquecendo de algumas, mas por aí vai.

Andre

Ligado à Música: Um pouco sobre o EP. Como funcionou o processo de composição das faixas e quanto tempo vocês demoraram para finaliza-lo?

André Lima: As composições foram basicamente do Tyrone. Ele chegou com as músicas bem estruturadas e nós encaixamos nossos instrumentos. Do início da gravação do EP até o lançamento foram cerca de 3 meses, mas ‘Vermelho’ e ‘Forasteiro’ já estavam gravadas há um ano praticamente, além de ‘Andersonia’ que foi uma gravação ao vivo no início do ano. Um ano atrás ainda não havíamos decidimos como seria o lançamento do EP, com quantas faixas e outras coisas, então demoramos bastante. Mas a partir do momento que começamos a gravar realmente, com data prevista de lançamento, capa e tudo mais, foram 3 meses.

Ligado à Música: Qual a sua faixa preferida do EP e por que?

André Lima: Sou suspeito pra dizer, mas gosto muito de ‘Espelho’, pois é a que mais me sinto à vontade para tocar, gosto bastante da linha de baixo.

Ligado à Música: O ‘primo Prince’, citado na terceira faixa, “Espelho”, realmente existe? (risos)

André Lima: Todo mundo tem esse tipo de primo (risos). Seria uma crítica a pressão que os pais fazem em cima dos filhos para sempre seguir alguém que ‘deu certo’ na família. Esse verso é uma parte da música que muita gente se identifica e chega até mesmo a comentar isso com a gente.

Ligado à Música: Além do formato digital, a banda pretende lançar o EP em formato físico?

André Lima: Pretendemos lançar algumas cópias para distribuir em shows, como brinde ao público, mas ainda não é nada concreto. Hoje em dia o pessoal está mais adepto ao Spotify e ao Deezer, então que a mídia física acaba ficando como lembrança.

Ligado à Música: Por fim, deixamos esse espaço dedicado a você e a banda.

André Lima: Gostaríamos de agradecer ao Ligado à Música pela oportunidade de divulgar o nosso material, agradecer nossos amigos que ficaram com a gente na expectativa para o lançamento do EP e a todos que estão divulgando, é muito bom poder contar com a ajuda de vocês. Um agradecimento também para as nossas famílias e a todos que colaboraram para esse lançamento acontecer, espero que logo possamos fazer mais entrevistas por aqui sobre outros álbuns e mais. Muito obrigado!

O show de lançamento de “Imerso – EP”, acontece no próximo dia 07 de julho, no Isla Pub. A banda irá se apresentar no evento Ilhapalooza, ao lado da Holandês Voador e The Unknowns, e o primeiro lote de ingressos já encontra-se esgotado.

Ouça a seguir o trabalho na íntegra e acompanhe novidades da Imerso em sua página oficial do Facebook e Instagram.